Queridos visitantes

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

''As princesas Disney como a princesa do Pop Britney Spears em momentos inesquecíveis de sua carreira'' por Isaiah Stephens, 2015 (Aladim)

''As princesas Disney como a princesa do Pop Britney Spears em momentos inesquecíveis de sua carreira'' por Isaiah Stephens, 2015 (Ariel)

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Richard Davies é um designer e ilustrador britânico com uma série de belas pinturas digitais no portfolio. Retratos de artistas, celebridades e ícones da cultura pop são sua especialidade. Foto: Amy Winehouse.
O designer Katlego Phatlane, conhecido também por Katt, é de Johannesburg, África do Sul, e fez um projeto belíssimo envolvendo ilustração digital e aquarela. Intitulado "The icons", ele presta homenagem a grandes ícones já falecidos da cultura pop. Em seu site, Katt diz: "Todos os ícones capturados demonstram seu amor a nós, pessoas que fizeram o que eles são. Este foi também um exercício para desenvolver um estilo multicor que imita aquarela. O uso da linha e técnicas digitais da pintura para criar uma peça leva bastante tempo, mas no final, vale bem a pena todo o esforço".

domingo, 19 de novembro de 2017

''Tenho pensado muito sobre as cores que criamos na nossa vida. Quais cores escolhemos para nos representar, contar nossa história? Percebo que cada fase tem uma paleta mas quando olho minha biografia consigo entender que o todo tem tons bem específicos que vira e mexe se repetem. Tenho me perguntado se esses tons são tons que gosto ou se apenas me acostumei com eles. Ás vezes vejo que para vestir uma nova cor tenho dificuldades, por mais que admire ela em outras pessoas. Essa resistência de vestir o novo tem sido um desafio prazeroso porque percebo que muitas cores já estão emboloradas para mim, não servem mais no momento. É muito lindo poder se apropriar do que gostamos. É muito lindo saber que podemos ser e ter aquilo que admiramos.'' (Marisol Ribeiro)
Pearl Jam, anos 90.

Fright Night (A Hora do Espanto), 1985.

Fright Night (A Hora do Espanto), 1985.

domingo, 29 de outubro de 2017

domingo, 22 de outubro de 2017

Madonna no filme ''Procura-se Susan Desesperadamente'', 1985.

Debbie Harry, anos 70.
Nirvana, 1991.

Duff Mckagan, Slash, Axl Rose, Izzy Stradlin e Steven Adler, anos 80.

''Porque todo o sentimento que faz bem só existe pros outros, pros bonitos, pros inocentes, pros que se deixam levar e são felizes desse jeito. Eu não. Sou artista, sou mentira, sou intensidade. Não consigo aceitar pouco. Tem gente que vive de jogos porque rebaixa o amor à adrenalina, porque acha que o pressuposto dos relacionamentos é sofrer. Eu não sou assim. Não gosto de solidão a dois. Eu tenho tentado, inutilmente, ser melhor. Me perdi no caminho e não posso voltar ao que era, tampouco posso parar de seguir em frente. Então deve haver uma maneira de evoluir sem perder o direito de sentir. Crescer sem perder a esperança nas pessoas.'' (V. Heiss)

Nuvens.

''Às vezes fico querendo me enlaçar e falho: as asas que criei não sabem pairar, só sabem voar longe onde ninguém mais tem coragem. O que é uma pena, porque a visão aqui de cima é incrível e meus pés, que não podem se prender ao chão, sentem falta de um outro par nas noites frias. É uma pena navegar sozinha num céu tão cheios de novidades e desafios. Vai que um dia outro pássaro louco cruza teu caminho, eles dizem. Vai que. E eu me pego pensando se existe mesmo alguém em algum lugar capaz de acompanhar o ritmo destas asas. Vai que um dia ele aparece. Vai que.'' [Verônica H.]
"Quando nos dedicamos, com o coração, à busca do autoconhecimento, é inevitável que chegue um instante em que algumas mentiras que contávamos para nós mesmos passem a não funcionar mais. Os disfarces até então utilizados para fortalecer o nosso auto engano já não nos servem. Inábeis com a paisagem aos poucos revelada, às vezes ainda tentamos nos apegar a alguma coisa que possa encobrir a nossa lucidez, embaraçados que costumamos ser com as novidades, por mais libertadoras que sejam. É em vão. Impossível devolver a linha ao novelo depois que a consciência já teceu novos caminhos. Existem portas que se desmancham após serem atravessadas, como sonhos que se dissolvem ao acordarmos. Não há como retornar ao lugar onde a nossa vida dormia antes de cruzá-las. Da estreiteza à expansão. Da semente à flor. Do casulo às asas, nos ensinam as borboletas." 

Não me subestime!

Não me subestime!
Minha quietude e silêncio não são demonstrações de desatenção. Ao contrário disso, aprendi que no silêncio de meus lábios há um estado de atenção que somente os quietos compreendem! Não estou desprotegida. Em minha solitude há um escudo dourado que me cuida das flechas invisíveis que me chegam! Há anjos em minha volta! Estou atenta às lições do caminho. Mesmo que demoradamente, elas me são absorvidas e compreendidas! Não me provoque. Minha mansidão, não é descuido, é confiança! Posso não te desejar o mal, mas devolvo todos os presentes que não me servem. Sou calada, não cega! Sou mansa, não boba! Sou pacífica, mas tenho minhas defesas! Não me julgue. Venha, calce meus sapatos e caminhe com eles por 3 luas seguidas, assim saberá de mim mais do que imagina e não mais me julgará, pois conhecerá meu sentir e saberá do meu coração. Falar de mim, diz mais sobre você do que sobre minha pessoa. Abrigue-se em minha casa e conhecerá o acolhimento da minha alma. Aqueça-se no sagrado fogo que queima em meu lar, e saberá do amor que trago no coração. Conheça a menina que habita em mim, e sentirá a alegria do meu ser. Respeite a anciã que me nutre, e certamente aprenderá sobre os mistérios que conheço! Perceba a mulher que pulsa, e poderás sentar à mesa comigo! (Rose Kareemi Ponce)

terça-feira, 17 de outubro de 2017

A vida era muito dura. Não chegávamos a passar fome ou frio ou nenhuma dessas coisas. Mas era dura porque era sem cor, sem ritmo e também sem forma. Os dias passavam, passavam e passavam, alcançavam as semanas, dobravam as quinzenas, atingiam os meses, acumulavam-se em anos, amontoavam-se em décadas - e nada acontecia. Eu tinha a impressão de viver dentro de uma enorme e vazia bola de gás, em constante rotação.

(Caio Fernando Abreu)
"Essa coisa bonita de dar sem receber funciona muito bem em rezas, histórias de santos e demais evoluídos do planeta. Mas eu não moro em igreja, não sou santa, não evoluí até esse ponto e só vou te dar se você me der também."
Dita Von Teese & Marilyn Manson.

Eddie Vedder, 1992.

Descobri que minha obsessão por cada coisa em seu lugar, cada assunto em seu tempo, cada palavra em seu estilo, não era o prêmio merecido de uma mente em ordem, mas, pelo contrário, todo um sistema de simulação inventado por mim para ocultar a desordem da minha natureza. Descobri que não sou disciplinado por virtude, e sim como reação contra a minha negligência; que pareço generoso para encobrir minha mesquinhez, que me faço passar por prudente quando na verdade sou desconfiado e sempre penso o pior, que sou conciliador para não sucumbir às minhas cóleras reprimidas, que só sou pontual para que ninguém saiba como pouco me importa o tempo alheio. Descobri, enfim, que o amor não é um estado da alma e sim um signo do zodíaco.

sábado, 7 de outubro de 2017

Antes do Amanhecer, 1995.
Edward Mãos de Tesoura, 1990.
"Não se pode substituir ninguém porque todo mundo é uma soma de pequenos e belos detalhes." Before Sunrise (Antes do Amanhecer), 1995.

Titanic, 1997.

Winona Ryder e Gary Oldman em Drácula de Bram Stocker, 1992.

Ana Clara Tissot