Queridos visitantes

quarta-feira, 29 de junho de 2011

"Daqui a vinte anos você estará mais decepcionado pelas coisas que você não fez do que pelas coisas que você fez. Portanto livre-se das amarras. Navegue longe dos portos seguros. Pegue os ventos da aventura em suas velas. Explore. Sonhe. Descubra." - Mark Twain

sábado, 25 de junho de 2011

Tô com vontade de escrever, mas não sei o que, então... Hoje foi um dia meio chato. Pra falar a verdade, os últimos tem sido TOTALMENTE. Falta das pessoas que tanto me fazem sorrir, falta de coragem e eu estou doente a uma semana. Espero que as coisas melhorem para mim. (Por Vanessa de Lima Ramos)

sexta-feira, 24 de junho de 2011

O Amor - Gibran Khalil Gibran

Quando o amor vos chamar, segui-o,
Embora seus caminhos sejam agrestes e escarpados;
E quando ele vos envolver com suas asas, cedei-lhe,
Embora a espada oculta na sua plumagem possa ferir-vos;
E quando ele vos falar, acreditai nele,
Embora sua voz possa despedaçar vossos sonhos
Como o vento devasta o jardim.
Pois, da mesma forma que o amor vos coroa,
Assim ele vos crucifica.
E da mesma forma que contribui para vosso crescimento,
Trabalha para vossa poda.
E da mesma forma que alcança vossa altura
E acaricia vossos ramos mais tenros que se embalam ao sol,
Assim também desce até vossas raízes
E as sacode no seu apego à terra.
Como feixes de trigo, ele vos aperta junto ao seu coração.
Ele vos debulha para expor vossa nudez.
Ele vos peneira para libertar-vos das palhas.
Ele vos mói até a extrema brancura.
Ele vos amassa até que vos torneis maleáveis.
Então, ele vos leva ao fogo sagrado e vos transforma
No pão místico do banquete divino.
Todas essas coisas, o amor operará em vós
Para que conheçais os segredos de vossos corações
E, com esse conhecimento,
Vos convertais no pão místico do banquete divino.
Todavia, se no vosso temor,
Procurardes somente a paz do amor e o gozo do amor,
Então seria melhor para vós que cobrísseis vossa nudez
E abandonásseis a eira do amor,
Para entrar num mundo sem estações,
Onde rireis, mas não todos os vossos risos,
E chorareis, mas não todas as vossas lágrimas.
O amor nada dá senão de si próprio
E nada recebe senão de si próprio.
O amor não possui, nem se deixa possuir.
Porque o amor basta-se a si mesmo.
Quando um de vós ama, que não diga:
“Deus está no meu coração”,
Mas que diga antes:
"Eu estou no coração de Deus”.
E não imagineis que possais dirigir o curso do amor,
Pois o amor, se vos achar dignos,
Determinará ele próprio o vosso curso.
O amor não tem outro desejo
Senão o de atingir a sua plenitude.
Se, contudo, amardes e precisardes ter desejos,
Sejam estes os vossos desejos:
De vos diluirdes no amor e serdes como um riacho
Que canta sua melodia para a noite;
De conhecerdes a dor de sentir ternura demasiada;
De ficardes feridos por vossa própria compreensão do amor
E de sangrardes de boa vontade e com alegria;
De acordardes na aurora com o coração alado
E agradecerdes por um novo dia de amor;
De descansardes ao meio-dia
E meditardes sobre o êxtase do amor;
De voltardes para casa à noite com gratidão;
E de adormecerdes com uma prece no coração para o bem-amado,
E nos lábios uma canção de bem-aventurança.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

‘’ (...) Dentro de mim há pensamentos demais, o que torna tudo meio apertado, mas tenho tentado dar uma arrumada nessas idéias para que cada uma fique na sua gaveta. Há também sentimentos demais, mas de forma alguma vou expulsá-los, deixo que circulem à vontade pelo meu corpo. Dentro de mim as estações são bem definidas: verão é verão, inverno é inverno. Toca música aqui dentro quase o tempo todo, e há uma satisfação secreta que precisa se manter secreta para não passar por boba. Há crianças e adultos dentro de mim, todos da mesma idade. Aqui dentro existe uma praia e uma montanha coladas uma na outra, parece até Rio de Janeiro, só que os tiroteios são raros. O último bangue-bangue emocional que metralhou minha alma faz quase um ano. Dentro de mim estão muitas lágrimas que não foram choradas pra fora e muitos sorrisos que, de tão íntimos, também guardei. Dentro de mim, às vezes, são produzidas algumas cenas sofisticadas e roteiros de filme B. Como não gostar de viver aqui dentro? E você, tem sido um bom hospedeiro de si mesmo?’’

[Dentro de mim não é um lugar para se viver" - Crônica de Martha Medeiros]
All For Love - Michael Bolton

A noite torna-se amanhecer
Para provar que o amor continua
Está escrito nas estrelas e no fundo do meu coração
É com você onde eu ainda permaneço
Através de cada página que viramos
Cada lição que aprendemos
Finalmente nos libertaremos, ou nos forçamos a submeter
Porém o amor está certo e nunca errado
Sabemos que podemos dizer que demos tudo
Demos tudo por amor
A cada passo do caminho, entregamos nossa alma
Demos tudo por amor, Tudo por amor
Nas orações silenciosas que rezo
Que palavras nunca poderiam ser ditas,
Para alcançar dentro de seu coração
Não importa onde você esteja
Prometo que encontraremos um caminho
Para caminhar pela estrada que já conhecemos
A estrada que nos guia para casa
Um milhão de sonhos
Eu tenho idealizado e em cada um deles eu via
Seu rosto e você sozinha
Sabemos que podemos dizer que demos tudo
Demos tudo por amor
A cada passo do caminho, entregamos nossa alma
Demos tudo por amor, Tudo por amor

A vida passa tão depressa
Pelos segredos que permanecem
Rapidamente o futuro torna-se passado.
Quando eu te abraçar novamente
Estarei te abraçando eternamente

Nas orações silenciosas que rezo
Que palavras nunca poderiam ser ditas,
Para te alcançar através da escuridão
Para alcançar bem fundo no seu coração
Prometo que encontraremos um caminho
Assim como a noite torna-se amanhecer
Pra provar que o amor continua
Através de cada página que viramos
Cada lição que aprendemos
Finalmente nos libertaremos, ou nos forçamos a submeter
Porém o amor está certo e nunca errado

Nós damos tudo por amor
Oh, sim!

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Tem muitas coisas que a gente vai deixando, vai deixando, vai deixando de ser e nem percebe. Quando viu, babau, já não é mais. Mocidade é isso aí, sabia? [CFA]
"O tempo, de vento em vento, desmanchou o penteado arrumadinho de várias certezas que eu tinha, e algumas vezes descabelou completamente a minha alma. Mesmo que isso tenha me assustado muito aqui e ali, no somatório de tudo, foi graça, alívio e abertura. A gente não precisa de certezas estáticas. A gente precisa é aprender a manha de saber se reinventar. De se tornar manhã novíssima depois de cada longa noite escura. De duvidar até acreditar com o coração isento das crenças alheias. A gente precisa é saber criar espaço, não importa o tamanho dos apertos. A gente precisa é de um olhar fresco, que não envelhece, apesar de tudo o que já viu. É de um amor que não enruga, apesar das memórias todas na pele da alma. A gente precisa é deixar de ser sobrevivente para, finalmente, viver. A gente precisa mesmo é aprender a ser feliz." [Ana Jácomo]
"Hoje, estou mais madura e um pouco mais serena. Entendi que não tenho que provar nada, nem ficar tentando agradar sendo quem não sou. Eu sou essa que você está vendo e, sim, tenho falhas. E, sim, sou pura emoção. Tenho algumas cicatrizes, feridas que não fecharam direito, raivas, coisas mal resolvidas. Quero me livrar disso tudo e seguir em frente. Preciso resolver isso e seguir no caminho que escolhi para mim. Espero que você se livre das coisas ruins e me acompanhe também. Nunca é tarde para aparar arestas. Vem."

sábado, 18 de junho de 2011


"Eu não sei se você se recorda do seu primeiro caderno. Eu me recordo do meu. Com ele eu aprendi muita coisa. Foi nele que eu descobri que a experiência dos erros ela é tão importante quanto a experiência dos acertos. Porque visto de um jeito certo, os erros, eles nos preparam para nossas vitórias e conquistas futuras, porque não há aprendizado na vida que não passe pela experiência dos erros. Caderno é uma metáfora da vida. Quando os erros cometidos eram demais, eu me recordo que a nossa professora nos sugeria que a gente virasse a página, era um jeito interessante de descobrir a graça que há nos recomeços, ao virar a página os erros cometidos deixavam de nos incomodar e a partir deles a gente seguia um pouco mais crescido". O caderno nos ensina que erros não precisam ser fontes de castigos. Erros podem ser fontes de virtudes. Na vida é a mesma coisa, o erro tem que estar a serviço do aprendizado, ele não tem que ser fonte de culpas, de vergonhas, nenhum ser humano pode ser verdadeiramente grande, sem que seja capaz de reconhecer os erros que cometeu na vida. Uma coisa é a gente se arrepender do que fez, outra coisa é a gente se sentir culpado. Culpas nos paralisam, arrependimentos não, eles nos lançam pra frente e nos ajudam a corrigir os erros cometidos. Deus é semelhante ao caderno, ele nos permite os erros para que a gente aprenda a fazer do jeito certo. Você tem errado muito? Não importa, aceite de Deus esta nova página de vida, que tem o nome de "hoje", recorde-se das lições do seu primeiro caderno. Quando os erros são demais, vire a página.( Padre Fábio de Melo )

quinta-feira, 16 de junho de 2011

O Que Eu Também Não Entendo - Jota Quest ♪

Essa não é mais uma carta de amor
São pensamentos soltos traduzidos em palavras
Pra que você possa entender o que eu também não entendo
Amar não é ter que ter sempre certeza
É aceitar que ninguém é perfeito pra ninguém
É poder ser você mesmo e não precisar fingir

É tentar esquecer e não conseguir fugir (fugir).

Já pensei em te largar,
Já olhei tantas vezes pro lado
Mas quando penso em alguém,
É por você que fecho os olhos


Sei que nunca fui perfeito, mas por você eu posso ser
Até eu mesmo que você vai entender
Posso brincar de descobrir desenho em nuvens
Posso contar meus pesadelos e até minhas coisas futeis.
Posso tirar tua roupa, posso fazer o que eu quiser
Posso perder o juízo, mas com você eu tô tranquilo (tranquilo)

Agora o que vamos fazer? Eu também não sei
Afinal, será que amar é mesmo tudo?!
Se isso não é amor, o que mais pode ser???

Tô aprendendo também.

terça-feira, 14 de junho de 2011


"Sentia-se pesado, lerdo, desconfortável, como se não coubesse dentro do próprio corpo, suspenso entre ter perdido um jeito antigo de comandá-lo e ainda não ter encontrado o jeito novo. Que devia haver um." Caio F. Abreu

SOBRE O AMOR, ROSAS E ESPINHOS...

Amor que é amor dura a vida inteira. Se não durou é porque nunca foi amor. O amor resiste à distância, ao silêncio das separações e até às traições. Sem perdão não há amor. Diga-me quem você mais perdoou na vida, e eu então saberei dizer quem você mais amou. O amor é equação onde prevalece a multiplicação do perdão. Você o percebe no momento em que o outro fez tudo errado, e mesmo assim você olha nos olhos dele e diz: "Mesmo fazendo tudo errado eu não sei viver sem você. Eu não posso ser nem a metade do que sou se você não estiver por perto." O amor nos possibilita enxergar lugares do nosso coração que sozinhos jamais poderíamos enxergar. O poeta soube traduzir bem quando disse: "Se eu não te amasse tanto assim, talvez perdesse os sonhos dentro de mim e vivesse na escuridão. Se eu não te amasse tanto assim talvez não visse flores por onde eu vi, dentro do meu coração!" Bonito isso. Enxergar sonhos que antes eu não saberia ver sozinho. Enxergar só porque o outro me emprestou os olhos, socorreu-me em minha cegueira. Eu possuia e não sabia. O outro me apontou, me deu a chave, me entregou a senha. Coisas que Jesus fazia o tempo todo. Apontava jardins secretos em aparentes desertos. Na aridez do coração de Madalena, Jesus encontrou orquídeas preciosas. Fez vê-las e chamou a atenção para a necessidade de cultivá-las. Fico pensando que evangelizar talvez seja isso: descobrir jardins em lugares que consideramos impróprios. Os jardineiros sabem disso. Amam as flores e por isso cuidam de cada detalhe, porque sabem que não há amor fora da experiência do cuidado. A cada dia, o jardineiro perdoa as suas roseiras. Sabe identificar que a ausência de flores não significa a morte absoluta, mas o repouso do preparo. Quem não souber viver o silêncio da preparação não terá o que florir depois. Precisamos aprender isso. Olhar para aquele que nos magoou, e descobrir que as roseiras não dão flores fora do tempo, nem tampouco fora do cultivo. Se não há flores, talvez seja porque ainda não tenha chegado a hora de florir. Cada roseira tem seu estatuto, suas regras... Se não há flores, talvez seja porque até então ninguém tenha dado a atenção necessária para o cultivo daquela roseira. A vida requer cuidado. Os amores também. Flores e espinhos são belezas que se dão juntas. Não queira uma só. Elas não sabem viver sozinhas. Quem quiser levar a rosa para sua vida, terá que saber que com ela vão inúmeros espinhos. Mas não se preocupe. A beleza da roza vale o incômodo dos espinhos... Ou não.

Pe. Fábio de Melo

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Balada Do Amor Inabalável - Skank

Eu levo essa canção de amor dançante
Prá você lembrar de mim
Seu coração lembrar de mim
Na confusão do dia-a-dia, no sufoco de uma dúvida
Na dor de qualquer coisa
É só tocar essa balada de swing inabalável
Que é o oásis pr'o amor
Eu vou dizendo na seqüência bem clichê
Eu preciso de você

Darará! Dararumdá Darará!

Dararumdá! Darumdá!
Darumdá! Darumdá!...

É força antiga do espírito virando convivência

De amizade apaixonada
Sonho, sexo, paixão
Vontade gêmea de ficar e não pensar em nada...
Planejando pra fazer acontecer ou simplesmente
Refinando essa amizade
Eu vou dizendo na sequência bem clichê
Eu preciso de você

Darará! Dararumdá Darará!

Dararumdá! Darumdá!
Darumdá! Darumdá!

Mesmo que a gente se separe por uns tempos ou quando

Você quiser lembrar de mim
Toque a balada do Amor Inabalável
Swing de amor nesse planeta
Mesmo que a gente se separe por uns tempos ou quando
Você quiser lembrar de mim
Toque a balada, seja antes ou depois
Eterna Love Song de nós dois.

quarta-feira, 8 de junho de 2011


Sou de gêmeos. Um signo de ar, mutável. Eu me distraio com tudo e você não imagina a facilidade que eu tenho de viajar sem sair do lugar. Mas nem tudo que nasceu comigo, ficou. Algumas situações amarraram meus pés no chão, fazendo com que eu me agarrasse firmemente à realidade. Paixões platônicas, Lindo, são para crianças. Foi isso que eu repeti silenciosamente, até me convencer. E deu certo. Quando começo a me iludir por alguém, racionalizo tudo: Por que eu me interesso tanto por ele? Por que ele se interessaria por mim? Por que a gente daria certo? E funciona! Esqueço com impressionante rapidez do meu interesse. Ah, as coisas ficam tão mais fáceis desse jeito! Você não sabe, Menino, mas eu machuco as pessoas. Eu faço com que elas se apaixonem por mim como um desafio, como uma criança testando seus limites. Então enjoo do meu jogo e não dou explicações. Destruo corações que se abrem pra mim com tanto esforço, na esperança de terem encontrado alguém legal. Ainda dá pra você fingir que não me viu. Se der tempo, se você tiver o raro dom de controlar seu coração, se o sentimento não estiver suficientemente forte à ponto de você se prender, fuja. Se você nem ao menos me diferencia das outras pessoas que te cercam, como eu imagino, permaneça assim. Não se aproxime, não se apaixone. Não me escolha como a eleita dos seus dias. Escolha uma dessas meninas com perfis de orkut todos iguais, que gostam de msn, que querem ser pedidas em namoro. Essas meninas que choram e sofrem, depois esquecem e ficam submissas. Dessas que conseguem se apaixonar, se apegar, amar. Eu não sou assim. Eu sou fria e jogo com as pessoas - não por maldade, mas porque inconscientemente me envolvo com brincadeiras, que na verdade são vidas de gente que ama e sofre de verdade. É, procure a saída mais próxima e parta de vez para uma relação humana, comum, sólida, eterna na sua duração e cheia de palavras e promessas de carinho. Eu tenho aflição de toque e sou incapaz de jurar amor sem pensar e ter certezas.

Verônica H.

A Mulher de Gêmeos

Bem, este tipo de mulher não é seguramente a Amélia da canção! Sendo inteligente e curiosa, será mais do tipo companheira intelectual, e não ficará em casa de chinelos e cuidando de crianças! Ela poderá parecer um pouco superficial, gostando de flertar e borboletear, mas esta é mera curiosidade, necessidade de saber como é. Como ela deseja sempre aprender, estará sempre fazendo algum curso, se instruindo, portanto irá se limitar a conversar com o namorado ou marido, sobre os fatos da mídia, sobre os assuntos que a estão atraindo no momento, estando ela a par de tudo o que acontece. As vezes ela até tenta se adaptar àquela figura materna que o namorado/marido tanto deseja. Mas não é sua praia. Gêmeos tem uma certa tendência a reprimir suas emoções e sentimentos, tentando negá-los e submetendo-os à análise de seu intelecto. Por isto pode não conseguir lidar com as suas emoções, tentando negá-las. A mulher de Gêmeos pode parecer nervosa, somente porque reprime a emoção. Se ela for do tipo intelectual, pode envolver o parceiro em intermináveis conversas, onde tentará racionalizar tudo, mas sem analisar nada em profundidade, somente como um exercício de intelectualidade. Neste caso, o lado maternal estará seguramente prejudicado, pois os mistérios que envolvem a maternidade não são aqueles do intelecto.

As geminianas terão de qualquer maneira um bom relacionamento com os filhos, aos quais ensinarão tudo, empurrando-os para carreiras universitárias e estimulando a sua natural curiosidade. A necessidade do conhecimento é neste signo maior que a necessidade de segurança. Não que não exista um certo romantismo mas ela não conseguirá ficar cinco minutos calada, olhando um pôr de sol, sem fazer algumas considerações a respeito! Enfim, se você ama o silencio, fique longe dela! Ela pode ter um forte senso estético e gosta de estar sempre na moda, de usar a última novidade. As coisas coloridas chamam sua atenção. Ela terá a graça de uma borboleta e a maciez de um tecido de seda. Deve ser tratada com a delicadeza que merece.

terça-feira, 7 de junho de 2011

Monte Castelo - Legião Urbana


Ainda que eu falasse a língua dos homens
E falasse a língua dos anjos,
Sem amor eu nada seria

É só o amor! É só o amor que conhece o que é verdade.
O amor é bom, não quer o mal, não sente inveja ou se envaidece


O amor é o fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer

Ainda que eu falasse a língua dos homens
E falasse a língua dos anjos
Sem amor eu nada seria


É um não querer mais que bem querer;
É solitário andar por entre a gente;
É um não contentar-se de contente;
É cuidar que se ganha em se perder.
É um estar-se preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É um ter com quem nos mata a lealdade.
Tão contrário a si é o mesmo amor.

Estou acordado e todos dormem.
Todos dormem. Todos dormem.
Agora vejo em parte,
Mas então veremos face a face

É só o amor! É só o amor que conhece o que é verdade

Ainda que eu falassea língua dos homens
E falasse a língua dos anjos,
Sem amor eu nada seria.

Composição: Renato Russo (recortes do Apóstolo Paulo e de Camões).