Queridos visitantes

segunda-feira, 31 de outubro de 2011


 
O que é um vampiro  *Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Segundo a lenda, vampiro é um ente mitológico que se alimenta de sangue humano.
O vampiro é um personagem muito comum na literatura de horror e mitológica, existindo tantas versões do seu mito quanto existem usos desse conceito. Alguns pontos em comum são o fato de ele precisar de sangue (preferencialmente humano) para sobreviver, de não poder sair na luz do Sol, de se transformar em morcego e de poder ser posto em torpor temporário por uma estaca no coração. Segundo a lenda, os vampiros podem controlar animais daninhos e noturnos, podem desaparecer numa névoa e possuem um poder de sedução muito forte. Formas de combatê-los incluiriam o uso de objetos com valor sagrado tais como hóstia consagrada, rosários, metais consagrados, alhos, água benta, etc.
Histórias sobre vampiros são bastante antigas e aparecem na mitologia de muitos países, principalmente dos da Europa e do Médio Oriente, na mitologia da Suméria e Mesopotâmia, onde surge como filho de Lilith, se confundindo com Incubus. Contudo as referências mais antigas a seres vampíricos vêm do Antigo Egito, destacando-se nesta mitologia a sanguinária Sekhmet e o Khonsu do Pre-Dinástico, como é bem visível na tradição vampírica da Aset Ka.
*Segundo a Enciclopédia Barsa:
As histórias de vampiros, amplamente difundidas por todo o mundo, provêm do fabulário húngaro do século XVIII. Foi, no entanto o romance Drácula, de Bram Stoker, adaptado para o cinema na década de 1930, o responsável pela grande divulgação das histórias de vampiros.

Vampiro, de acordo com a superstição popular, é a alma aflita de um suicida, criminoso ou herege que sai de sua sepultura à noite, em geral sob a forma de morcego, para beber o sangue de seres humanos. Suas vítimas transformam-se também em vampiros. Ao romper do dia, o vampiro deve retornar a sua cova ou para um caixão que contenha terra de seu local de origem.
O típico vampiro tem rosto pálido, olhos arregalados e dentes caninos salientes. Alimenta-se mordendo o pescoço de suas vítimas e sugando-lhes o sangue. Os métodos para reconhecer vampiros (eles não projetam sombra e sua imagem não se reflete em espelhos) e para repeli-los (mostrando-lhes um crucifixo ou dormindo com uma coroa de alhos em volta do pescoço) são bastante conhecidos das crianças, assim como as formas de vencê-los definitivamente: fincar uma estaca em seu coração, queimá-los ou destruir o local onde repousam durante o dia.

Entre os demônios da tradição folclórica antiga, o vampiro obteve o sucesso literário mais notável e constante durante o século XX, devido, em grande parte, à popularidade do romance gótico Drácula (1897), do autor britânico Bram Stoker. O conde Drácula, vilão morto-vivo da Transilvânia, tornou-se o tipo representativo de vampiro. Esse romance, uma peça encenada em 1927 e uma série de filmes transformaram o interesse por vampiros numa verdadeira mania. O clássico filme Drácula (1931), dirigido por Tod Browning e estrelado por Bela Lugosi, serviu de modelo para dezenas de filmes de vampiros produzidos a partir de meados do século XX.
_____ *** _____

Ninguém sabe ao certo... Durante os milênios, muitos estudiosos tentaram dar uma resposta exata para esta pergunta, sem sucesso. Todas as culturas do nosso planeta, praticamente, apresentam histórias sobre vampirismo, do Oriente Médio a Europa Oriental, passando pela África e Américas. Em comum entre as muitas histórias de Vampiro pelo mundo, apenas alguns dados fundamentais: Vampiro é uma criatura das trevas, imortal (ou quase), e que se alimenta de sangue.
 
Quanto à origem dos Vampiros, as divergências começam aqui. Para muitos, Vampiro é o espírito maléfico de um suicida, de alguém que foi condenado pela Igreja ou que tenha levado uma vida má e infeliz. Para outros, é um cadáver reanimado pelo próprio Coisa-Ruim! A história mais surpreendente de todas, entretanto, afirma que os Vampiros são tão antigos quanto a Criação...
 
A Bíblia nos ensina que, por ter assassinado o irmão, Caim foi condenado por Deus a vagar eternamente, sem descanso, carregando consigo um estigma, uma marca. Muitos afirmam que Caim foi o primeiro e mais poderoso Vampiro, e transmitiu a seus descendentes sua maldição. Aliás, a grande maioria das histórias confirma este aterrorizante poder: através do sangue, uma pessoa pode ser vampirizada, dando origem a mais um Vampiro!
    • As 12  Bruxas mais Famosas:
  •  
  • Elvira – é a bruxa de Halloween que sai uma vez por ano desde a eternidade, para o apanhar a assistir a filmes de terror e gritar para não ir para o porão.
  • Glinda - é a Bruxa boa do Norte, que se opõe à bruxa má que vem de outras direções.
  • Elphaba – é a Bruxa Malvada do Oeste, no filme O Mágico de Oz, em oposição a Elph-Ibaba nos livros aos quadradinhos do Wizard of Id.
  • Nessarose – é a Bruxa Malvada do Leste no filme O Mágico de Oz e nos últimos tempos é também conhecida como Martha Stewart.
  • Anne Boleyn – foi a segunda esposa de Henry VIII de Inglaterra, que foram decapitados e colocados num guisado de anões de Hollywood comerem.
  • Joan of Arc – era a esposa de Noé, criador do soldador do arco que tem sobrevivido até aos nossos dias e é usado, ironicamente, nos navios de hoje.
  • Marie Laveau – era a rainha vodoo de Nova Orleans que inspirou a canção, “The Gambler”, cantada por Mel Gibson em Yiddis.
  • Sam – foi a bruxa  do programa de TV , Bewitched, que mexia o nariz e causava o caos mundial.
  • Sabrina – era uma bruxa adolescente num show de TV, um pouco maliciosa.
  • Blair Witch – foi um cruzamento entre Blair Underwood e as bruxas de Salem.
  •  Buffy a caça vampiros- era uma bruxa de filme, que estrelou o filme “Twilight”.
  •  As bruxas de Eastwick – era na verdade uma bruxa em esteroides que se clonou a si mesma, para se transformar em muitas bruxas e satisfazer alguns…

O fascínio das bruxas:

Desde sempre as bruxas exercem um certo fascínio na mente das pessoas, quer pelo medo que inspiram, quer pela imagem de magia e mistério que transmitem. As bruxas descendem dos xamãs e sacerdotes. São geralmente retratadas como mulheres feias com verrugas no nariz, conhecedoras da magia negra, que preparam as suas poções mágicas em caldeirões e que se voam em vassouras. Na idade média, a santa inquisição perseguiu as bruxas e identificava-as, colocando a mulher suspeita num lado da balança e uma enorme bíblia no outro lado, se ela pesasse menos que a bíblia é porque era uma bruxa e então era condenada a morrer, ardendo numa fogueira. Nos livros, televisão e no cinema as bruxas de hoje em dia são bastante diferentes, na sua maioria são bonitas e até glamurosas. Desde sempre as bruxas têm servido de inspiração para uma serie de coisas e eventos. Algumas bruxas históricas adquiriram alguma notoriedade, como é o caso das chamadas Bruxas de Salem, a Bruxa de Evóra e Dame Alice Kytler uma bruxa inglesa. São também bastante populares na literatura de ficção, como nos livros da popular série Harry Potter, nos livros de Marion Zimmer Bradley, As Brumas de Avalon, que versam sobre uma vasta comunidade de bruxos e bruxas cuja maioria prefere evitar a magia negra, ou a trilogia sobre as bruxas Mayfair, de Anne Rice.


O que é e quando é o Halloween?

 O Halloween é evento comemorado a 31 de Outubro de cada ano e é tipicamente celebrado com  festas e vestimentas de fantasias, filmes de terror, guloseimas ou travessuras e esculturas em abóbora.
Trata-se de um evento tradicional e cultural, dos países anglo-saxônicos, como Estados Unidos, Canadá, Irlanda e Reino Unido, e que teve origem em celebrações de povos antigos. A celebração do Halloween tem duas origens que se foram misturando no decorrer dos tempos, uma origem católica e outra pagã, embora ao certo ninguém saiba bem de onde vem. Na sua origem, o halloween não tinha relação com bruxas, era um festival do calendário celta da Irlanda, o festival de Samhain, uma festa dos druidas. A relação deste com as bruxas teria começado na Idade Média aquando das perseguições e julgamentos pela Inquisição, nos quais condenavam homens ou mulheres à morte por serem designados de bruxos ou bruxas. Eram então queimados na fogueira. O Halloween de hoje, pouco tem a ver com as suas origens. Na celebração atual, são usados muitos elementos em torno da bruxaria. As fantasias, enfeites e outros acessórios estão repletos de alusões a bruxas, gatos pretos, vampiros, fantasmas e monstros. 

Um brinde aos nossos defeitos, porque qualidade nenhum filho da puta vê!

Quem tiver raiva de mim e não puder se vingar,
bote a corda no pescoço e traga a ponta pra eu puxar.
A gente tem é que sentir arrepios na vida. Aquela coisinha boa dizendo que você está no caminho certo, que é aquilo mesmo e as coisas estão fluindo. Pobre de quem não sente arrepios e não comemora em silêncio consigo mesmo enquanto tudo se encaminha. Pode ser uma arrepio de amor, realização, surpresa, expectativa, não interessa. Arrepios são um aviso: estamos vivos! E prontinhos para sentirmos e sermos felizes. Arrepios, daqueles que levantam todos os nossos pelos, são a maior demonstração de como o nosso coração gosta de sorrir. — Camila Costa
Acredito no seguinte: o olho das pessoas que gostam de você sempre vai brilhar quando alguma coisa boa te acontece. Se ele não brilha, meu amigo, “há algo errado no paraíso”. — Clarissa Corrêa
Não tenho senso de direção, mas tenho senso de humor. Tô aqui, perdidão na vida, e fazendo piada disso. Mas quando me perguntam como quero estar em cinco anos, só consigo pensar em uma resposta: Quero estar feliz.

Com a maturidade (em outras palavras: com os parafusos aparafusados direitinho), a gente começa a perceber o que merece e o que não merece a nossa atenção. Isso vale para coisas, pessoas, ideias, sentimentos. Tem coisa que não vale um real. Outras tantas valem um milhão. — Clarissa Corrêa
Importante é quem não vê diferenças, não deixa o abraço para amanhã e não se esquece nem de quem errou depois de tanto acertar na nossa vida. Importante é quem enxerga dentro o que ninguém vê por fora, e sabe que, acima de tudo, todo olhar aflito precisa de um pouco de amor. E não se importa, de maneira alguma, de levar esse amor. — Camila Cosa
Tanta vontade de chorar, tanta vontade de ir embora…
Tanta vontade de viajar para bem longe, romper todos os laços, sem deixar endereço.