Queridos visitantes

terça-feira, 29 de novembro de 2011


"Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das ideias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes… tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos. Você pode até me empurrar de um penhasco que eu vou dizer: - E daí? Eu adoro voar! Não me deem fórmulas certas, por que eu não espero acertar sempre. Não me mostrem o que esperam de mim, por que vou seguir meu coração. Não me façam ser quem não sou. Não me convidem a ser igual, por que sinceramente sou diferente. Não sei amar pela metade. Não sei viver de mentira. Não sei voar de pés no chão. Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra sempre." Clarice Lispector
- Ela é tão livre que um dia será presa.
- Presa por quê?
- Por excesso de liberdade.
- Mas essa liberdade é inocente?
- É. Até mesmo ingênua.
- Então por que a prisão?
- Porque a liberdade ofende.

[Clarice Lispector]
Sou uma mulher de gostos e versos. Um pouco ladra, eu diria. Roubo histórias, bordo palavras, costuro sonhos, desato pensamentos. Coisas de quem escreve, encare assim. Quem fica ao meu redor tem que entender que, vez em sempre, algo será tomado para e por mim, sem dó. Me aproprio indevidamente de vidas e falas. Não leve a mal se por ventura algum dia o seu sossego for passear junto comigo. E se por acaso a insônia se tornar a sua melhor amiga, admita que eu venci. Gosto de esfregar na cara do suposto adversário as minhas vitórias. Em certas ocasiões o mais digno é engolir tudo elegantemente. (Clarissa Corrêa)
Eu disfarço muito e quase ninguém percebe. Tem um monte de gente por aí que acha que me conhece o suficiente. Outros tantos acham que sabem o bastante sobre a minha vida. Entra no meu mundinho quem eu deixo. Acho que a gente não deve escancarar a vida, tem coisa que é só nossa e de mais ninguém. Quanto mais a gente dá liberdade para os outros mais eles se sentem no direito de se intrometer e meter o bedelho. Não gosto, pois da minha vida cuido eu.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

"Eu apenas queria que você soubesse
Que esta menina hoje é uma mulher
E que esta mulher é uma menina que colheu seu fruto flor do seu carinho.
Eu apenas queria dizer a todo mundo que me gosta
Que hoje eu me gosto muito mais,
Porque me entendo muito mais também.
E que a atitude de recomeçar é todo dia toda hora.
É se respeitar na sua força e fé
E se olhar bem fundo até o dedão do pé."

(Gonzaguinha)
"Virei pedra e entendi porque a solidão é a experiência mais universal de todas. A solidão é muito sacana. Num dia, ela te deixa eufórico, pensando nessa liberdade possível de não dever satisfação a ninguém e nessa possibilidade infinita de realizar todas as tuas vontades. Mas, no outro dia, a solidão te dá uma rasteira daquelas bem dadas. E te faz cair na real. Tu estás só feito um cão de rua, meu filho. Ninguém te ama, ninguém te quer, ninguém te conhece, ninguém tem acesso à tua alma. Tuas neuras são só tuas, e parece que nada nem ninguém preenche esse vazio."
“Tudo isso dói. Mas eu sei que passa, que se está sendo assim é porque deve ser assim, e virá outro ciclo, depois. Para me dar força, escrevi no espelho do meu quarto: ‘Tá certo que o sonho acabou, mas também não precisa virar pesadelo, não é?’ É o que estou tentando vivenciar. Certo, muitas ilusões dançaram – mas eu me recuso a descrer absolutamente de tudo, eu faço força para manter algumas esperanças acesas, como velas. Também não quero dramatizar e fazer dos problemas reais monstros insolúveis, becos-sem-saída. Nada é muito terrível. Só viver, não é? A barra mesmo é ter que estar vivo e ter que desdobrar, batalhar um jeito qualquer de ficar numa boa. O meu tem sido olhar pra dentro, devagar, ter muito cuidado com cada palavra, com cada movimento, com cada coisa que me ligue ao de fora. Até que os dois ritmos naturalmente se encaixem outra vez e passem a fluir. Porque não estou fluindo.”
[...] "O amor não acaba. O amor apenas sai do centro das nossas atenções. O tempo desenvolve nossas defesas, nos oferece outras possibilidades e a gente avança porque é da natureza humana avançar. Não é o sentimento que se esgota, somos nós que ficamos esgotados de sofrer, ou esgotados de esperar, ou esgotados da mesmice. Paixão termina, amor não. Amor é aquilo que a gente deixa ocupar todos os nossos espaços, enquanto for bem-vindo, e que transferimos para o quartinho dos fundos quando não funciona mais, mas que nunca expulsamos definitivamente de casa." Martha Medeiros

domingo, 27 de novembro de 2011

Ás vezes é muito fácil julgar, criticar, imaginar, e tentar viver uma vida que não te pertence. Ás vezes tomamos tanta posse da vida de alguém que esquecemos que a nossa vida também é existente, e sem um rumo, é guiada por vento. É muito fácil dizer que ama, e não estar ao lado, é muito fácil dizer que nunca vai te esquecer e no momento seguinte tudo se apagar como um clarão, uma promessa feita é uma dívida não paga… Não entendemos que muitas vezes o que é fútil para você, para mim é a razão do viver.

sábado, 26 de novembro de 2011

Eu tento não me importar, ou pelo menos fingir que não me importo. Faço de conta que não me machuca, que não me afeta. É o meu jeito, nunca fui de querer demonstrar fraqueza para os outros. Longe de mim olhares piedosos! No meu dicionário, ser forte é mais que uma obrigação, é lei. E quando eu não consigo fazer isso, me sentindo um fracasso, um lixo. Eu sempre fui muito dura comigo mesma, acho que estou precisando relaxar um pouco.
“Não gosto de quem se faz de santa, de prestativa, de solícita, de legal. Não gosto de quem fala miando, se finge de sonsa, faz caras e bocas. Não gosto de gente artificial, que tem duas caras, dois jeitos, dois comportamentos. Sou a favor da transparência, de gente de verdade, sem retoques, sem artifícios. Tenho pavor de mulher fingida. Que se finge de morta, mas no fundo rebola o tempo todo, faz cara de atriz pornô pra ser notada e depois diz que ah-é-meu-jeito-sou-assim. Tenho pavor de mulher que se insinua o tempo inteiro e depois diz não-entendo-porque-todo-mundo-olha-pra-mim. Pavor. Tem mulher que perde a linha. Com esse tipo, perco o rebolado. Quase esqueço a classe em casa. É que gente de mentira me tira do sério. Além disso, tenho horror de biscate. Acho que no fundo são todas perdidas, infelizes, coitadas, mal amadas. Precisam de atenção 24 horas. E esquecem que pra gente ter atenção de verdade precisa, em primeiro lugar, ser verdadeira. Com a gente mesma.”
" - Na verdade, porém, vocês nunca estiveram de fato acordados. Pode ser que vocês tenham visto o sol, a lua e as estrelas no céu, e também tudo o que existe e se move sobre a terra... mas vocês nunca viram todas essas coisas como elas realmente são. No caso do curinga é diferente, pois ele veio ao mundo com o defeito de ver coisas demais e de ver todas elas em profundidade!
- Então desembucha de uma vez, seu idiota! - interrompeu-o a Dama de Ouros. - Se você viu alguma coisa que nós não vimos, vá dizendo logo o que é!
- Eu vi a mim mesmo! - exclamou o curinga - Eu vi a mim mesmo errando por um imenso jardim cheio de arbustos e árvores.
- Você consegue ver a si mesmo do alto? - Deixou escapar Dois de Copas. - Será que os seus olhos têm asas como os pássaros?
- No fundo eles têm, sim. Pois não basta ficar se olhando o tempo todo num pequeno espelho, como as quatro damas aqui do povoado gostam tanto de fazer. Elas estão tão preocupadas com sua aparência que não se dão conta que vivem."

[Jostein Gaarder]

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

"Era frio.

Não sei dizer se fazia mais frio do lado de fora da minha blusa ou dentro do
meu coração. 
Provavelmente competiam..."

 Caio Fernando Abreu
Não existem pessoas de sucesso e pessoas fracassadas. O que existem são pessoas que lutam pelos seus sonhos ou desistem deles.
"Não venha me pedir desculpas se estiver com intenção de errar novamente. Perdoar demais, cansa."

(Tati Bernardi)
O problema, o real problema é colocar sentimento demais aos olhos de uns, e sentimento de menos aos olhos de outros. Tudo o que é demais enjoa, tudo o que é de menos acaba... Talvez o "meio termo" nunca tenha feito tanto sentido.
Ter provado outra vez desta solidão acho que me fez melhor.
Ou mais humano.
Ou mais dolorido.
Quem sabe?
Sempre a mesma coisa, sempre, sempre e sempre, ciclo vicioso.
Mudanças são necessárias.
“Eu sempre acho que às vezes na vida, a gente vive tão mal, às vezes a gente precisa perder as pessoas pra descobrir o valor que elas têm. Às vezes as pessoas precisam morrer pra gente saber a importância que elas tinham, e isso uma vez na minha vida isso aconteceu. Estava eu na minha casa de manhã, quando recebi um telefonema que minha irmã estava morta, minha irmã mais nova, cheia de vida de repente não existe mais. Fico pensando assim, que às vezes na vida o ensinamento mais doído seja esse, quando na vida nos já não temos mais a oportunidade de fazer alguma coisa, e o inferno talvez seja isso, a impossibilidade de mudar alguma situação."
"É preciso não esquecer nada: nem a torneira aberta nem o fogo aceso, nem o sorriso para os infelizes, nem a oração de cada instante.  É preciso não esquecer de ver a nova borboleta, nem o céu de sempre. O que é preciso é esquecer o nosso rosto, o nosso nome, o som da nossa voz, o ritmo do nosso pulso. O que é preciso esquecer é o dia carregado de atos, a idéia de recompensa e de glória.
O que é preciso é ser como se já não fôssemos, vigiados pelos próprios olhos severos conosco, pois o resto não nos pertence. "
"O que eu ando fazendo? Investindo no sossego do meu próprio coração!"

terça-feira, 22 de novembro de 2011

"Silêncio, ando obcecado por silêncio. Um silêncio que te permita ouvir o ruído do vento. E o bater do coração. E se possível isso que chamamos de Deus, existindo devagarinho em cada coisa."
Angelina Jolie
Ontem depois que você foi embora confesso que fiquei triste como sempre.

Mas, pela primeira vez, triste por você. Fico me perguntando que outra mulher ouviria os maiores absurdos como eu, e, ainda assim, não deixaria de olhar pra você e ver um homem maravilhoso. Que outra mulher te veria além da sua casca? Você não entende que está perdendo o paladar para o que a vida tem de verdadeiro e bom. É tanta comida estragada, plastificada e sem sal, que você está perdendo o paladar para mulheres como eu. E você não sabe como vale a pena gostar de alguém e acordar ao lado dessa pessoa, ouvindo ela respirar quietinha enquanto dorme, linda. E quando você dorme quietinho assim, eu sei que, apesar de eu não abalar sua vida em nada, você precisa de mim. Você não sabe como isso é infinitamente melhor do que acordar com essa ressaca de coisas erradas e vazias. Ou sozinho e desesperado pra que algum amigo reafirme que o seu dia 'valerá a pena'. Ou com alguma garotinha boba que vai namorar sua casca. A casca que você também odeia e usa justamente para testar as pessoas "quem gostar de mim não serve pra mim".

E eu tenho vontade de segurar seu rosto e ordenar que você seja esperto e jamais me perca e seja feliz. E entenda que temos tudo o que duas pessoas precisam para ser feliz. A gente dá muitas risadas juntos. A gente admira o outro desde o dedinho do pé até onde cada um chegou sozinho. A gente acha que o mundo está maluco e sonha com sonos jamais despertados antes do meio-dia. A gente tem certeza de que nenhum perfume do mundo é melhor do que o cheiro do outro. A gente se reconheceu de longa data quando se viu pela primeira vez na vida.

E você me olha com essa carinha banal de "me espera só mais um pouquinho". Querendo me congelar enquanto você confere pela centésima vez se não tem mesmo nenhuma mulher melhor do que eu. E sempre volta. Volta porque pode até ter alguma descolada que te deixe instigado. Mas não tem nenhuma melhor do que eu. Não tem.

Porque, quando você está com medo da vida, é na minha mania de rir de tudo que você encontra forças. E, quando você está rindo de tudo, é na minha neurose que encontra um pouco de chão. E, quando precisa se sentir especial e amado, é pra mim que você liga. E, quando está longe de casa gosta de ouvir minha voz pra se sentir perto de você. E, quando pensa em alguém em algum momento de solidão, seja para chorar ou para ter algum pensamento mais safado, é em mim que você pensa. E eu passei os últimos anos escrevendo sobre como você era especial e como eu te amava e isso e aquilo. Mas chega disso.

Caiu finalmente a minha ficha do quanto você é, tão e somente, um cara burro. E do quanto você jamais vai encontrar uma mulher que nem eu nesses lugares deprê em que procura. E do quanto a sua felicidade sem mim deve ser pouca pra você viver reafirmando o quanto é feliz sem mim e principalmente viver reafirmando isso pra mim. Sabe o quê? Eu vou para a cama todo dia com 5 livros e uma saudade imensa de você. Ao invés de estar por aí caçando qualquer mala na rua pra te esquecer ou para me esquecer. Porque eu me banco sozinha e eu me banco com um coração. E não me sinto fraca ou boba ou perdendo meu tempo por causa disso. E eu malho todo dia igual a essas suas amiguinhas de quem você 'tanto gosta', mas tenho algo que certamente você não encontra nelas: assunto.

Bastante assunto. Eu não faço desfile de moda todos os segundos do meu dia porque eu me acho bonita sem precisar de chapinha, maquiagem e salto alto.

Eu tenho pena das mulheres que correm o tempo todo atrás de se tornarem a melhor "fruta de uma feira". Pra depois serem apalpadas e terem seus bagaços cuspidos. Também sou convidada para essas festinhas com gente "wanna be" que você adora. Mas eu já sou alguém e não preciso mais querer ser. E eu, finalmente, deixei de ter pena de mim por estar sem você e passei a ter pena de você por estar sem mim. Coitado.
"A verdade é que desde sempre foi complicado entender o que eu sinto, mas eu sempre tentei descrever em palavras para que, quem sabe alguém mais ou menos desocupado do que eu, pudesse entender por mim. A vida bateu na minha cara, muitos dias seguidos, sem poesia nenhuma que era pra me deixar sem vontade alguma de abrir os olhos. Só que os olhos são meus e cabe a mim saber até onde é bom enxergar, mesmo que sejam só coisas ruins que não vão me dar o sorrisinho que eu tenho que carregar todas as manhãs. Assim como tudo na vida, amores e amigos vêm e vão e, fico aqui perguntando baixinho, quem sou eu então pra decidir que os meus não deveriam ir? Não adianta mais prometer que será pra sempre. Eu não quero promessas. Promessas criam expectativas e expectativas borram maquiagens e comprimem estômagos. Eu não quero dor. Eu não quero olhar no espelho e ver você escorrer, manchando minha maquiagem. É pelo medo de cair de novo que meus joelhos tremem. Eu quero, no mínimo uma garantia. E eu só preciso me desfocar do sonho que me deixa míope e enxergar além, ou melhor: enxergar o que está na minha cara. Antes de dormir rezei, pedi a Deus que perdoe tanta ingratidão de minha parte, por não enxergar tudo de bom que a vida me oferece, e continuar aqui me lamentando."
 (Tati Bernardi)

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

"A maior parte das pessoas não é suficientemente determinada para enfrentar obstáculos. Quando elas desejam algo ou têm um projeto para realizar alguma coisa, assim que se deparam com dificuldades, desistem, mudam de direção ou perdem a confiança em prosseguir. Isso sugere fraqueza de propósito e incerteza quanto ao que, de fato, querem. Por isso, se você resolver pegar uma direção qualquer, em primeiro lugar busque a lucidez necessária para saber qual é exatamente o seu objetivo; em segundo lugar, reúna forças para enfrentar todos os obstáculos que inevitavelmente irão se levantar contra o seu projeto. Se a sua determinação for inflexível , eles desaparecerão um a um."
Atualmente, estou fazendo mudanças em minha vida. Caso você não ouça mais falar de mim, provavelmente você é uma delas.

domingo, 20 de novembro de 2011

"E voei, voei. Eu e minha loucura e minha vontade de vomitar tanto até secar por dentro. Eu e o meu medo de me magoar de novo com todo mundo e precisar de novo odiar tanto e me proteger tanto que fico demasiadamente má e me sinto má e começo a fazer maldades comigo. Eu prefiro esse peito todo errado do que outro peito. Eu gritava. Eu prefiro mil vezes me assumir do que assumir o mundo mil vezes errado. Eu gritei. E então, tudo continuava ali, prestes a dar muito errado, a falir, a cair no chão e fazer meu próprio buraco. Tudo estava ali. Todo o meu potencial gigantesco pra fazer da minha vida um inferno imenso. E eu assumi meu peso, eu assumi meu medos, eu assumi toda a merda. E assim, voei ainda mais alto, como se flutuasse. Eu peguei pra mim tudo o que soltava por aí e, surpreendentemente, fiquei mais leve. Se dava pra ir de pesadelo pra sonho deitada, imagina o que eu não poderia fazer da minha vida a hora que ficasse em pé?”

Certas coisas são tão evidentes, apesar de inexplicáveis, que a gente não pode deixar de acreditar. Acreditar deveria ser o meu sobrenome. Paciência e fé. É o que eu tenho buscado [...] 
 (Caio Fernando de Abreu)
"Dizem que tudo na vida tem dois lados. Um bom e outro ruim. Depende nos olhos de quem está á pimenta. Mas se tem algo realmente ambíguo para uma única alma é um troço chamado saudade. Com ou sem pimenta nos olhos. O dito popular é quem melhor traduz a dualidade de uma saudade quando diz que esta é a maior prova de que o amor valeu a pena. Então sentir a falta é bom. E ruim. Em todos os pontos de vista. Vai entender... Saudade é amar um passado que nos machuca no presente. É uma felicidade retardada. É deitar na rede e ficar lembrando das ardentes reconciliações depois de brigas homéricas por motivos desimportantes. Sente-se falta de detalhes, como uma toalha no chão, dias chuvosos, da cor dos olhos. A saudade só não mata porque tem o prazer da tortura. Saudade é o amor que não foi embora ainda, embora o amado já o tenha feito. Ter saudade é imaginar onde deve estar agora, se ainda gosta de vinho Bordeaux, se chorou com a derrota do Grêmio no campeonato nacional, se tem tratado aquela amigdalite. E quando a saudade não cabe mais no peito, se materializa e transborda pelos olhos. Sentir saudade é ter a ausência sempre do seu lado. É mudar radicalmente a rotina, comer mais salada e menos sorvete, frequentar lugares esquisitos, ter dias mais compridos, ter tempo para os amigos, para o vizinho e para a iguana do vizinho. A saudade é a inconfortável expectativa de um reencontro. Às vezes a saudade é tão grande que nem é mais um sentimento. A gente é saudade. É viver para encontrar o olhar da pessoa em cada improvável esquina, confundir cabelos, bocas e perfumes, sorrir com os lábios tendo o coração sufocado. Porque mesmo a saudade sendo feita para doer, às vezes percebemos que ela é o meio mais eficaz de enxergar o quanto amamos alguém, no passado ou no presente. Por que a saudade é o muro de Berlim desmoronado no chão, capaz de agregar opostos, como a tristeza e a felicidade em uma coisa híbrida. Se você tem saudade é sinal que teve na vida momentos de alegria com ela ou ele! No fim das contas, a saudade que agora lhe maltrata nada mais é que uma dívida sendo paga em longas 36 prestações pelo amor usufruído. Agora aguenta..." Gabito Nunes
"...Mas só poderei me aproximar dos outros depois que começar a desvendar a mim mesmo. Antes de estender os braços, preciso saber o que há dentro desses braços, porque não quero dar somente o vazio. Também não quero me buscar nos outros, me amoldar ao que eles pensam, e no fim não saber distinguir o pensar deles do meu."
Mas o tempo, esse sim me fez mudar, pra melhor. Progredir sempre é o que eu penso, é pelo o que eu torço. Muitas vezes não dei valor para algumas pessoas que estavam perto e menosprezei quem a mim dedicava atenção, e também muitas vezes depositei tudo de mim em quem não merecia, mas em um todo não foi tão ruim assim, erros submetem a que? Aprendizados, respondo. E errei, e aprendi. E ainda erro, assim como ainda aprendo. Como um ciclo, até que não se tenha mais o que errar ou mais o que aprender. MAIS. Agora mais é o que eu quero. Mais carinho, mais ternura, mais compreensão, mais dedicação, mais amor para com o próximo, mais acertos e mais aprendizados, mais alma e mais entregas, sem medo das conseqüências, sem pensar no depois, no que vai ser ou não ser, no que será, porque o que importa é o agora. E o que vier depois? A gente vê DEPOIS. E depois.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

"Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das ideias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes… tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos. Você pode até me empurrar de um penhasco que eu vou dizer: - E daí? Eu adoro voar! Não me deem fórmulas certas, por que eu não espero acertar sempre. Não me mostrem o que esperam de mim, por que vou seguir meu coração. Não me façam ser quem não sou. Não me convidem a ser igual, por que sinceramente sou diferente. Não sei amar pela metade. Não sei viver de mentira. Não sei voar de pés no chão. Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra sempre." Clarice Lispector
Depois de muitas quedas, eu descobri que às vezes, quando tudo dá errado acontecem coisas maravilhosas que jamais aconteceriam se tudo tivesse dado certo. Eu percebi que quando eu me amei de verdade pude compreender que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa. Então pela primeira vez pude relaxar, pude perceber que o sofrimento emocional é um sinal de que estou indo contra a minha verdade. Parei de desejar que minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo que acontece contribui para o meu crescimento. Comecei a perceber como é ofensivo tentar alguma coisa ou alguém que ainda não está preparado, inclusive eu mesma. Comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável: pessoas, tarefas, crenças e qualquer coisa que me pusesse pra baixo. Minha razão chamou isso de egoísmo, mas eu sei que é amor próprio. Hoje faço o que acho certo e no meu próprio ritmo. Desisti de querer ter sempre razão e com isso erro menos, desisti de ficar revivendo o passado e de me preocupar com o futuro, isso me mantém no presente que é onde a vida acontece. Descobri que na vida a gente tem mais é que se jogar, porque os tombos são inevitáveis e a hora que a gente levanta ninguém segura. Percebi que a minha mente pode me atormentar e me decepcionar, mas quando eu a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande aliada, também percebi que sem carinho, sem afeto, sem verdadeiros amigos, sem amor a vida é vazia e se torna amarga. Então, hoje eu só tenho encontro marcado com aquilo que me interessa.
Britney Spears, 2004.
“Quando quiser ser, seja! Quando quiser ir, vá! Quando quiser voltar atrás, volte! Quando sentir que deve fazer algo, faça! Ninguém sabe melhor do que você o que você tem que fazer, quando tem que fazer e de que jeito tem que ser feito. Vá em frente. VIVA, com letras maiúsculas!”

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Britney Spears, 2002

Britney Spears - ''Boys'' Live @ The NBA All Star Game 2001
De alguma maneira eu sinto muito por isso. Mas pela primeira vez estou conseguindo não se importar tanto. Sinto que estou conseguindo não precisar tanto de tanta coisa, de tanta gente. Olho pra trás e vejo o quanto fui ingênua, foram tantos momentos de merda, tantos momentos de solidão. Aquele medo besta de ficar sozinha, de ter ou não amigos. Todo aquele esforço tentando agradar e sempre acertar. Toda aquela saliva, perdida falando o quanto eu gostava e que sempre estaria ali do lado pra qualquer coisa. E quando eu mais precisei nem de palavras me serviram. Confesso que essas idas e vindas de pessoas novas e velhas ás vezes mexem comigo, mas daí mim dou conta que é só um universo paralelo, e vai ser sempre assim, porque pessoas são pessoas, e elas têm seus extintos, como eu - que demorei mais aprendi. Aprendi a ser melhor pra mim, por mim. Aprendi que não vale como também não é justo estar infeliz tentando preservar a felicidade dos outros. Não. Eu não sinto tanto por você, por eles, ou por quem for que seja. Sinto só por mim, por todo o meu tempo que foi perdido. Por cada momento que considerei como único, mas que jogaram fora como algo insignificante. Não sinto amor, tão pouco ódio, quem sou eu pra sentir ódio de alguém. A verdade é que não sinto nada. E é por não sentir nada que hoje me sinto melhor que ontem, pois passei muito tempo cuidando da vida dos outros, do amor dos outros, de toda aquela merda, que eu fazia achando que estava fazendo a coisa certa, quando o que estava fazendo era limpando todo terreno dos outros e jogando tudo no meu buraco. E honestamente? Eu AGRADEÇO todos os dias por terem me considerado tanto assim, por terem se esforçado tanto pra me mostrar que não são nada além de nada, pelo menos hoje pra mim são consideradas assim e agora posso dizer: Eu não me importo com nada além de mim mesma. Por que nada mais é tão importante quanto eu mesma. E please. Não dedique isso pra ninguém, porque "isso aqui" é só mais um pra você e para os demais.

[...] Existe uma grande diferença entre: Ser amigo e Ter amigo

terça-feira, 8 de novembro de 2011

"Eu sei que as pessoas são todas esburacadas, mas o que move o mundo é a busca pelo revertério. Elas vão se preenchendo de música, de festa, de comida, de academia, de gente, porque têm fé no que chamam de amor. Nem que seja o amor próprio. Algo que faça brilhar os olhos, que esconda a realidade fria por alguns segundos ou mais. E o que atrai os outros, inconscientemente, é exatamente isso: essas pessoas parecem tão repletas que despertam fascinação e vontade de estar perto. Mesmo que não sejam repletas de verdade, mesmo que também procurem isso no mundo." Verônica H.

sábado, 5 de novembro de 2011

Antes de julgar a minha vida ou o meu caráter… Calce os meus sapatos e percorra o caminho que eu percorri, viva as minhas tristezas, as minhas dúvidas e as minhas alegrias. Percorra os anos que eu percorri, tropece onde eu tropecei e levante-se assim como eu fiz. E então, só aí poderás julgar. Cada um tem a sua própria história. Não compare a sua vida com a dos outros. Você não sabe como foi o caminho que eles tiveram que trilhar na vida.