Queridos visitantes

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

De vez em quando fico triste do nada, com motivo ou sem motivo. De vez em quando fico feliz do nada, com razão ou sem razão. É assim, as vezes dá vontade de sair pulando, distribuindo beijinho, dando abraços e, em outras, dá vontade de mandar todo mundo pra muito, muito longe.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Na verdade eu quero escrever, mas não queria. Escrever me faz pensar e pensar me faz temer. No primeiro dia da real palavra esmagadora que é perda as duas outras únicas palavras em que consegui pensar foram: perder e desistir. Olho o meu pior pesadelo bem dentro dos olhos e a sensação é horrível. Os meus dias voltam a ser monótonos e pesados. O sono baixa denso em cima de mim e ás sete horas da noite preciso me arrastar da cama, tomar um banho de água gelada enquanto digo pra mim mesma: acorda! Acorda que não tem mais ninguém pra fazer seu dia menos entediante e solitário, pra segurar a rotina baixando a mil sobre a sua cabeça de ovo de codorna. Acorda que não tem mais ninguém pra esperar e nem lugar seguro pra se desesperar. Não tem ninguém pra apertar um botão que faz você parar de chorar então não chora, porque chorar cansa, faz nariz escorrer e boca inchar e dá muita dor de cabeça. Saio, me arrasto. O sono me persegue pelos vãos, o frio se infiltra. Penso em correr: tem pra onde? Não. "Um amigo me pediu pra cuidar da dor dele, guardei a minha no bolso. E fui". Nessas horas sempre me parece estar todo mundo tão, mas tão fodido, que estufo meu peito e faço a cara de feliz maior que posso: vamo que vamo, é o Brasil, é o Trabalho de Conclusão, é a minha irmã me chamando pra ir, é um motivo qualquer pra me empurrar arrastando. Revirando meu lixo, lambendo as feridas até encontrar um pedaço de coisa qualquer pra me agarrar e ir continuando até Deus sabe onde eu vá parar.
"Cansei de tudo, hoje deu vontade de chorar e eu só queria um colo para encostar minha cabeça e fingir que o mundo lá fora não existe. Hoje eu queria um abraço daqueles que te sufoca de tão apertado e te protege de tudo. Hoje eu só queria ouvir “eu te procurei pra saber se você tá bem”, só pra sentir uma dor menos doída dentro do peito. Cansei de me sentir só. Cansei dos dias iguais, da rotina. Cansei de mim e de me deixar sempre em última opção. Cansei de mentir pra mim, pra ver se dói menos. Cansei de ouvir ” eu sinto muito”. Cansei de me preocupar com quem não se preocupa comigo. Cansei de sofrer e de acordar indisposta, cansei de sentir o coração bater mais forte, com uma sensação de arrependimento, de erro. Cansei dessa porra toda!"
Cuidado, minhas vontades são como o café: Pode estar quente na hora, mas se demorar demais ele acaba esfriando.
"E esse vazio que ninguém dá jeito?
Você guarda no bolso, olha o céu, suspira, vai a um cinema, essas coisas…
E tudo, e tudo, e tudo."
Caio Fernando Abreu

domingo, 25 de dezembro de 2011


Porque você não sabe, mas tenho corrido maratonas e vencido monstros gigantescos para conseguir sentir tudo isso sem arrancar minha cabeça fora.
(Tati Bernardi)
Legal seria poder correr por ai, com pressa, por ter alguém pra encontrar e abraçar.
Vim aqui me buscar para varrer entulhos. Passar a limpo alguns rascunhos. Resgatar o viço do olhar. Trocar de bem com a vida. Rir com Deus, outra vez. Vim aqui me buscar para não me contentar com a mesmice. Para dizer minhas flores. Para não me surpreender ao me flagrar feliz. Para ser parecida comigo. Para me sentir em casa, de novo.
(Ana Jácomo)
Sou quebra-cabeça de 500 mil peças, quem não tiver capacidade, tenta um jogo mais fácil. Eu supero e agradeço. - Tati Bernardi

Silêncio...

Permita-me desfalecer enquanto disserto sobre coragens que não tenho. Deixe-me ir quando não houver mais disposição para ficar. Aceite minhas falhas que hoje me definem e me limitam, mas diga o que for preciso pra me corrigir. Deixe-me chorar pela incompletude desses dias que não passam, mesmo que seja bobagem, mesmo que minha solidão seja infundada e incompreensível. O telefone não toca e se você não conhece o desespero do silêncio, apenas aceite. Porque há o momento do irremediável como existem os momentos anteriores de passar adiante em silêncio tentando tirar o espinho da carne há o momento em que o irremediável se torna tangível. Eu também não queria perguntar, pensei que só no silêncio fosse possível construir uma compreensão, mas não é. Sei que não é, você também sabe, pelo menos por enquanto, talvez não se tenha ainda atingido o ponto em que um silêncio basta. Perdoe-me a indelicadeza, a maneira bronca no convívio humano. me falta a consciência de amar. Sobra-me o medo de ser mal entendida. Tenho limitações bobas que não se explicam com definições certas, palavras existentes. Tem um dicionário inteiro de termos ainda não criados para falar sobre mim. Não sei o que, não sei o motivo, não sei como. Não explico, nem me importo. Apenas sou. E isso tem que bastar. 
Os únicos limites da sua vida, são aqueles que você impõe em si mesmo.
(...) Hoje, eu consigo olhar pro meu passado como uma espectadora. E apontar cada detalhe e cada erro e acerto e cada instante e sensação e fuga. As projeções que fiz, as dependências que criei, as compulsões que tive, hoje são um presente de maturidade e otimismo. Porque comecei a atrair pessoas, histórias e assuntos mais leves, saudáveis. E criei pra mim uma rotina de paz, e deixei de admirar muita gente e a apreciar outras. E vivi muita solidão, muita solitude, muito aconchego também. 

Hoje sou tão grata por tudo que doeu, por tudo que sangrou, pelo sono perdido. Retomei o controle da minha vida e estou sendo amada de uma maneira que me deixa mais segura. Perdi meus medos, sobrou apenas a minha fobia de altura. E, por menos que eu tenha escrito, a poesia sempre esteve em mim.

Brindo com vocês esta fase nova em que ,finalmente, conheci a tranquilidade. Se eu tinha esquecido desta frase, hoje eu posso repetir com o coração cheio de certeza: TUDO VAI DAR CERTO SEMPRE, porque a vida se encarrega das coisas e ela nos compensa com ela mesma.


Marla de Queiroz
Não que pare de doer, mas cai no seu entendimento que às vezes perdemos algo e não há solução. No fim você coloca um sorriso no rosto e finge que é sincero, até que a vida o faça realmente ser. - Caio Fernando Abreu
Mas então onde, meu Deus? Onde vou encontrar gente interessante?
Até quando vou continuar achando todo mundo idiota demais pra mim e me sentindo mais idiota de todos?
Tati Bernardi.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Não era nada com você. Ou quase nada. Estou tão desintegrado. Atravessei o resto da noite encarando minha desintegração. Joguei sobre você tantos medos, tanta coisa travada, tanto medo de rejeição, tanta dor. Difícil explicar. Muitas coisas duras por dentro. Farpas. Uma pressa, uma urgência. E uma compulsão horrível de quebrar imediatamente qualquer relação bonita que mal comece a acontecer. Destruir antes que cresça. Com requintes, com sofreguidão, com textos que me vêm prontos e faces que se sobrepõem às outras. Para que não me firam, minto. E tomo a providência cuidadosa de eu mesmo me ferir, sem prestar atenção se estou ferindo o outro também. Por que o Zen de repente escapa e se transforma em Sem? Sem que se consiga controlar. Fiz fantasias. No meu demente exercício para pisar no real, finjo que não fantasio. E fantasio, fantasio. Até o último momento esperei que você me chamasse pelo telefone. Todas as cartas de amor são ridículas. E eu estava só começando a entrar num estado de amor por você. Mas não me permitir, não te permitir, não nos permiti.  Eu não queria saber. Tão artificial, tão estudado. A calma, o equilíbrio, as palavras ditas lentamente, como se escolhesse. Raramente um gesto, um tom mais espontâneo. Tão bom ator que ninguém percebe minha péssima atuação. Você compreende tudo isso? Dá um certo trabalho decodificar todas as emoções contraditórias, confusas, soma-las, diminui-las e tirar essa síntese numa palavra só, esta: gosto. Não há nenhum subtexto nisto que te escrevo. Não acho bonito que a gente se disperse assim, só isso.  Estou tentando ser honesto e limpo. Uma possibilidade que eu precisava devorar ou destruir. Porque até hoje não consegui conquistar essa disciplina, essa macrobiótica dos sentimentos, essa frugalidade das emoções. Fico tomado de paixão. Há tempos não ficava. E toda essa peste, meu amigo. O que tem me mantido vivo hoje é a ilusão ou a esperança dessa coisa, “esse lugar confuso”, o Amor um dia. E de repente te proíbem isso. Eu tenho me sentido muito mal vendo minha capacidade de amar sendo destroçada, proibida, impedida. Não quero me tornar uma pessoa pesada, frustrada, amarga. Não vou me tornar assim. Mas de tudo isso, me ficaram coisas tão boas. Uma lembrança boa de você, uma vontade de cuidar melhor de mim, de ser melhor para mim e para os outros. De não morrer, de não sufocar, de continuar sentindo encantamento por alguma outra pessoa que o futuro trará, porque sempre traz, e então não repetir nenhum comportamento. Ser novo. Somos muito parecidos, de jeitos inteiramente diferentes: somos espantosamente parecidos. E eu acho que é por isso que te escrevo, para cuidar de ti, para cuidar de mim - para não querer, violentamente não querer de maneira alguma ficar na sua memória, seu coração, sua cabeça, como uma sombra escura. Perdoe a minha precariedade e as minhas tentativas inábeis, desajeitadas, de segurar a maçã no escuro. Me queira bem. Estou te querendo muito bem neste minuto. Tinha vontade que você estivesse aqui e eu pudesse te mostrar muitas coisas, grandes, pequenas, e sem nenhuma importância, algumas. Fique feliz, fique bem feliz, fique bem claro, queira ser feliz. Você é muito lindo e eu tento te enviar a minha melhor vibração de axé. Mesmo que a gente se perca, não importa. Que tenha se transformado em passado antes de virar futuro. Mas que seja bom o que vier, para você, para mim. Te escrevo, enfim, me ocorre agora, porque nem você nem eu somos descartáveis. E amanhã tem sol.
“A gente morre. E quer saber o que a gente leva da vida, quando morre? Porra nenhuma. A gente só deixa. Acha que, no final, vai levar tuas cicatrizes? Sejam emocionais ou físicas. Não, né? Então pra que tanto medo de viver?” Tati Bernardi
Aprendi que não devemos ficar mal pelo o que as pessoas falam, mas devemos sempre lembrar do que Deus diz sobre nós, do que Ele tem preparado para cada um. Pois é isso que nos move, é essa fé, é essa certeza de vitória que não nos deixa desanimar, que não nos deixa desistir. Então se te julgam, se falam muito sobre você, não se preocupe. Deus acima de todas as coisas se conhece, e você sabe o que você passa e faz realmente. Sorria Sempre. (Tati Bernardi)
"Hoje acordei reflexiva. E dentre todos meus pensamentos percebi que nessa vida as coisas nos acontecem para que possamos saber que tudo é experiência e aprendizado e que também não vale a pena fingir um equilíbrio que não tenho. A gente tem que descobrir maneiras - sejam quais forem- de ficarmos fortes." CFA

Deus coloca cada coisa no seu devido lugar, faz as coisas no tempo certo, na hora certa. Ele repara em cada lagrima sua, cada sorriso, cada gesto, Ele sabe o que você vai fazer antes mesmo que faça. Já reparou como as coisas simples são mais bonitas do que as outras? Como uma gota de chuva fica tão bonita olhada de perto, como o sol da manha fica tão radiante quando você repara bem, como uma criança fica tão linda dormindo, ou como um sorriso, só um sorriso que não custa nada consegue fazer a diferença no seu dia. Já pensou que o seu sorriso também pode fazer diferença no dia dos outros? Mesmo que você não perceba, talvez tenha sido esse sorriso que você esconde quando fica triste talvez esteja fazendo falta para alguém. Então menina, engole o choro, acalma o coração, limpa essas lagrimas ai que insistem em cair, coloca esse seu melhor sorriso e vamos enfrentar o mundo, alegrar a vida de algumas pessoas, Deus não deu o seu sorriso pra ser desperdiçado, quanto a sua dor, pode deixar que Ele vai tratar de cuidar direitinho, se você se sentir sozinha, lembre se que Ele sempre vai colocar um sorriso radiante perto de você, é só você ter calma pra encontrar.
Ando tentando não conversar, não amar, nem sequer gostar, não me apegar, não voltar atrás, não repensar, ignorar, me manter distante. Ando tentando superar.
(Tati Bernardi)
"Quando estamos diante de algo ou de alguém que é absolutamente precioso na nossa vida, a gente sabe, mesmo que sem muita clareza no início, a nitidez às vezes só costuma florir no tempo da primavera do olhar. A gente sabe porque sente com uma sinceridade tão profunda que qualquer nuvem de dúvida dura pouquíssimo no céu de azul macio que acontece nesse território da alma. A gente sabe porque o sentimento nos pega pela mão e nos leva para um lugar de paz tão singular que, se formos honestos com nós mesmos, reconhecemos ter visitado raras vezes nas nossas andanças. A gente sabe porque sente ter sido despertado em nós um entusiasmo que nos enche de vontade de fazer expandir a nossa bondade e transformá-la em gestos amorosos pra distribuir por aí. A gente sabe porque o coração também sai de casa pra sorrir e quer convidar outras tantas vidas pra sorrir junto. A gente sabe porque não consegue mais imaginar que o nosso caminho desaprenda a passar por lá, mesmo que precise aprender a desaprender depois. A gente sabe porque se sente feliz. Simplesmente feliz." Ana Jácomo
“[...] Não tenho mais tanta pressa. Comecei a aprender a ser mais gentil com o meu passo. Afinal, não há lugar algum para chegar além de mim. Eu sou a viajante e a viagem.” (Ana Jácomo)
“Eu não tenho muitas respostas. O que eu tenho é fé. E uma vontade bonita, toda minha, de crescer.” — (Ana Jácomo)

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Se o meu travesseiro falasse ele te diria que sempre que a minha cabeça ali encosta é você que invade a minha mente. — Clarissa Corrêa
Eu vou fazer da minha pior fraqueza um recomeço a cada dia, e mesmo sem motivos eu vou sorrir. Mesmo que todos queiram me ver chorar eu não darei esse prazer, e vou levantar a cabeça e não cansar de nada. O meu coração está totalmente igual um vidro que acaba de ser quebrado, e parece não ter mais jeito. Mas eu ainda vou sorrir sabia? É, eu vou sorrir. Porque não importa o tamanho do buraco, eu sei que minha vontade é bem maior. Fraca ou forte, meu sorriso permanece.
"Um dia desses, eu separo um tempinho e ponho em dia todos os choros que não tenho tido tempo de chorar." (Carlos Drummond de Andrade)
“Ás vezes, criamos pessoas em nossas mentes, construimos sonhos em cima de palavras, que o vento leva. Mas quem é o culpado? Quem fala ou quem ouve? Ou será que não existe culpado?Nessa vida louca, quando pensamos que nossa vida está calma, acontece um maremoto, e tudo vai a deriva. Não há culpados, é só a vida se materializando, são os encontros e desencontros. Temos que aceitar quando um tripulante resolve sair antes do término da viagem, sem dizer adeus, sem dizer sequer uma palavra, é difícil. Mas, cada um faz o que pensa ser o melhor. O que é nosso nunca se vai, por mais que queira, sempre estará presente. Se for, na hora certa voltará, e se não voltar, é porque não era nosso. Melhor assim. Doer, dói, mas somente uma vez. E nada melhor que o tempo para mostrar nos o melhor caminho. E isso não é frieza, é maturidade. Nada dura para sempre, nem as dores, nem as alegrias. Tudo na vida é um aprendizado, tudo na vida se supera…”

 Caio Fernando Abreu
“É claro que a gente se engana, se surpreende, se decepciona. Já pensei que amei. Já pensei que me apaixonei. E vi que era fogo de palha. Já pensei que era amizade. Já achei que fosse de verdade. E vi que era faísca. Mas tudo que eu gosto, eu gosto. Lembre disso. Para mim, algumas coisas são para sempre. Amigos, por exemplo. A gente sabe que tem os de verdade, os que vão atravessar anos, estados, países, turbulências e mau tempo. E a gente também sabe que tem aqueles de momento. Uma pessoa pode ser muito sua amiga hoje na aula de inglês, no trabalho, na primavera. Depois passa. E aí, era amizade? Era. Mas era aquela amizade de momento. E era verdadeira? Também era. Naquele momento. Acho que existe o perecível e o que não tem data de validade. E digo: tenho amigos que não têm data de validade, apesar de eu não estar sempre junto deles. Também tenho amigos que são amigos hoje, que sei que posso contar, mas não sei se estarei junto daqui a dez anos. Isso pra mim é muito claro. E a família? Família, você querendo ou não, é pra sempre. É um laço. Não se desfaz. Pode ter briga, atrito, confusão, mas é família. E é pra sempre.” — Clarissa Corrêa.
“O momento em que você percebe que o outro não te quer é mágico. A gente acorda, se sente nova, se sente livre. É claro que não se afoga um sentimento do dia para a noite. Mas a gente tenta preencher aqueles espaços com coisas novas: músicas diferentes, bons livros, trabalho, amigos, decoração da casa, um animal de estimação. Tudo serve para animar, renovar, encher a casa, a vida e preencher o tempo, costurar e remendar nossas feridas. É claro que vai doer, é claro que você vai sentir, é claro que o sentimento ainda vai latejar por um tempo. Mas a gente supera a partir do momento em que decide o que merece.” — Clarissa Corrêa
Demorei muito para acreditar na mais louca e cruel verdade: quem gosta de você vai te tratar bem. Quem gosta de você se importa, quer o melhor, te procura, te liga, te dá satisfação. Quem gosta quer estar junto. Quem gosta demonstra. Quem gosta faz planos. Quem gosta apresenta para a família e amigos. Quem gosta manda uma mensagem bobinha só pra dizer que ama. Quem gosta carrega uma foto sua dentro da carteira pra ver quando dá saudade. Quem gosta abraça na hora de dormir. Quem gosta dá um beijo de boa noite e de bom dia. Quem gosta aguenta suas reclamações, sua cólica infernal, suas manhas e manias.” — Clarissa Corrêa
''Não gosto muito de quem mostra ser o que não é. Mesmo porque uma hora a cortina fecha. Uma hora o show termina. E a gente tem que fazer malabarismo para manter a pose, para não errar o tom. É difícil viver o tempo todo nessa corda bamba. Eu não consigo. Deve ser por isso que as pessoas gostam ou não gostam de mim. Nunca vi alguém dizer que gosta de mim mais ou menos. Ou eu agrado ou incomodo as pessoas com meu jeito. É que meu jeito é bem diferente. Se eu gosto fica carimbado na minha cara. E se eu não gosto fica estampado no meu rosto e na minha cara de nojinho. Não sei forçar uma cara boa.'' - Clarissa Corrêa
“Na verdade, eu nã tenho muito para lhe oferecer. Não possuo nada de extraordinário, não sou um gênio, não tenho um coração livre de impurezas. Não sou dona da beleza mais magnífica do planeta. Na verdade, posso não ter o suficiente para lhe ofertar. Apenas a minha visão sobre o amor e o mundo e as noites. Apenas as minhas mãos suaves e macias e claras. Apenas a minha alma transparente e rosa. Apenas a minha boca cor de maçã e suave. Apenas o que é meu e posso lhe doar, sem pedir nada em troca: Meu amor. Pode não ser o suficiente, mas talvez seja o melhor que há.” — Clarissa Corrêa.
O coração da gente gosta de atenção. De cuidados cotidianos. De mimos repentinos. De ser alimentado com iguarias finas, como a beleza, o riso, o afeto. Gosta quando espalhamos os seus brinquedos no chão e sentamos com ele para brincar. E há momentos em que tudo o que ele precisa é que preparemos banhos de imersão na quietude para lavarmos, uma a uma, as partes que lhe doem. É que o levemos para revisitar, na memória, instantes ensolarados de amor capazes de ajudá-lo a mudar a freqüência do sentimento. Há momentos em que tudo o que precisa é que reservemos algum tempo a sós com ele para desapertá-lo com toda delicadeza possível. Coração precisa de espaço.

Ana Jácomo

“Antes eu achava que todo mundo era meu amigo. Um dia, depois de muito sentir um gosto amargo e horrível na boca, descobri que muita gente queria me ferrar. Sim, as pessoas querem (e vão, me desculpa, mas vão) te ferrar. Tem amigo que não suporta te ver feliz. Tem conhecido que não aguenta ver o teu sucesso. Tem amigo que não gosta de ver que o teu relacionamento está dando certo. Tem parente que sente um ciúme trouxa. Tem gente que não sabe o que é gostar. Tem gente que não respeita nada. Acredito no seguinte: o olho das pessoas que gostam de você sempre vai brilhar quando alguma coisa boa te acontece. Se ele não brilha, meu amigo, “há algo errado no paraíso”.— Clarissa Corrêa
''A porta está fechada, não adianta bater. E foi tão bom constatar que não me atinge mais. Não me entristece, não me aborrece, não me tira o sono. Passa por mim. Mas, não me atravessa. Foi-se o tempo. E foi-se o tempo faz tempo!” Tati Bernardi

“Acabei me afastando de algumas pessoas. A gente sente direitinho quem quer o nosso bem. Se eu estou feliz e você gosta de mim, por favor fique feliz também. Se a sua vida é uma desgraça, desculpa, não tenho culpa. Se os seus sonhos e planos não deram certo, por gentileza, não descarregue em mim. Também tenho sonhos e planos que não se concretizaram e nem por isso sou amargo. Nem por isso não desejo a sua felicidade. Sempre disse e repito: é fácil ser solidário quando tudo está uma merda. É fácil esticar a mão, ficar ao lado, ouvir as tragédias. Difícil mesmo é ficar feliz lá no fundo quando o outro conquista alguma coisa. Quando ele se dá bem. Quando ele está com o coração sorrindo. A gente percebe direitinho sorrisos amarelos, olhares não sinceros. Acho isso tão pequeno. Se você gosta de alguém, se é amigo de alguém é obrigação ficar feliz pela pessoa.” — Clarissa Corrêa

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Não me interessa onde você mora e nem quanto dinheiro você ganha, eu quero saber se é capaz de acordar depois da noite do luto e do desespero, exausto e ferido até a alma, e fazer aquilo que precisa ser feito.
(Martha Medeiros)
O tempo faz com que as lembranças ruins apaguem, e dê espaço para as lembranças boas te fazer lembrar, que nem tudo foi uma perca de tempo!
- Você não esperava, não é?
- Pelo o quê?
- Por mais essa decepção, moça.
- Tudo bem. No fundo a gente sempre espera.
O amor é para os verdadeiros aventureiros, corajosos, desbravadores. O sexo casual é coisa de menininha. - Tati Bernardi.

Há tantas pessoas lá fora que irão te dizer que você não consegue. O que você deve fazer é virar para elas e dizer: Me observe. (Caio Fernando Abreu)