Queridos visitantes

sexta-feira, 27 de abril de 2012

“E tenho essa carinha de moça inexplicavelmente feliz, mas pra chegar até esse estágio de felicidade mascarada eu precisei cair um milhão de vezes. E chorar, e doer, e doer muito. E precisei fingir segurança e arriscar. Arriscar muito. E hoje ninguém mais me chama de frágil, ninguém mais me chama de pequena. Eu sou intensamente forte, imensamente grande. E eu precisei esfriar o coração, pra conseguir derrubar muralhas gigantescas sem remorso. E hoje eu sei exatamente onde segurar, na hora em que estou prestes a cair.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário