Queridos visitantes

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

A LEI DO VÁCUO!

O apego às coisas antigas não deixa o novo entrar em nossas vidas. Nos deixa presos às histórias antigas, aos hábitos antigos e às emoções antigas. Aproveite essa semana pra limpar, pra organizar e pra se livrar de coisas velhas. Arrume o quartinho da bagunça. Jogue fora quinquilharias que você nunca mais vai usar. Doe roupas que não combinam mais com você. Livre-se de tudo que não se encaixa com a pessoa que você quer ser. Só quando deixamos o espaço vazio livre é que podemos receber novidades que vão tornar nossas vidas melhores e mais plenas.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012







“Fodas são aquelas pessoas que em um dia te tratam bem, no outro te tratam mal. Como se em um dia gostassem de ti, e no outro não. Nunca consigo entender.” (João Pedro Bueno)
.

Muito prazer, isso sou eu. Um poço de dúvidas e desconfiança. Sou isso o que vocês podem ver e mais uma infinidade de coisas que acham que podem. Um poço de insegurança, de medos e saudades. Uma banheira cheia de risos nervosos e choros silenciosos. Um poço de sentimentos a flor da pele, aguardando o momento certo para explodir ao mesmo tempo. Uma mistura sem fim de amores e ódios e indiferenças. Muito prazer, sou metade razão, metade sentimento. Uma dose de carinho, duas de dureza. Um poço sem fim de indecisão, segredos e vontades. O maior coração do mundo banhado em ressentimento. Um balde cheio de incompreensão para certas coisas, transbordando entendimento para outras. Prazer, sou esse monte de palavras gritantes. Sou essa falta de mistério e discrição. Sou esses atos por impulso, esses ciúmes incontroláveis, essa cara de não-me-importo. Tudo isso colocado em um grande caldeirão e fundido com um punhado de fragilidade, doçura e calma. Fundido com uma cara de eu-só-quero-ajudar. Sou essa pose toda mergulhada numa panela de bondade. Essa composição de coisas que dizem com aquilo que sou. Esse poço de sentimentos bons, ruins e a falta deles. Isso sou eu.
“Mas é realmente difícil essa coisa de ligar e dizer “olha, hoje eu não ando bem, me ajuda?”. Ah, eu não sei fazer isso direito até hoje! Em parte porque acho que me cobro demais em estar bem. Quer dizer, a peteca cai de vez em quando, mas o dia todo também não dá, entende? Uma reação contra a vida também é responsabilidade minha. Entretanto, se você diz que acha - apenas acha - que não está bem, eu logo trato de resolver a sua vida, não importa o que está acontecendo ou o peso da “peteca”. Eu só não sei pedir ajuda, mas eu ajudo. Não sei chamar, ocupar o tempo do outro, mas é inevitável: eu também necessito de ajuda. Os meus olhos dizem isso, não dizem? Eu quero aprender a ligar, a pedir, a chamar. Eu também preciso.” Camila Costa. 
“Sou aquele tipo de pessoa esquisita, que não quer nada, mas deseja tudo, sabe? Não costumo lutar pelas coisas, mas quando vejo que vale a pena eu batalho até a última palavra. Sou do tipo de pessoa, que quando ama alguém, batalha por ela. Mesmo sabendo que a esperança nem sempre é a última que morre, porque quando a esperança acaba, você ainda existe, existe sabendo que vai chorar, derramar suor, perder pessoas e amigos ainda no futuro. Sou do tipo de pessoa que não fica perto de ninguém, que odeia a socialização, mas não nega nenhum amigo e ama um conselho nas piores horas.” Gabriel Malaquias.
Você se acostuma com tudo dando errado ou dando certo só depois de muito esforço e quando algo simplesmente dá certo você não sabe lidar.

 
Voltei pra cama e abracei o travesseiro. E continuei pensando em como tudo era bom. Em como tudo era pra ser bom. Aí veio uma lágrima. E outra, outra, outra. Inevitável. — Clarissa Corrêa 
Quero sexo na escada e alguns hematomas e depois descanso numa cama nossa e pura. Quero foto brega na sala, com duas crianças enfeitando nossa moldura. Quero o sobrenome dele, o suor dele, a alma dele, o dinheiro dele (brincadeira…). Que ele me ame como a minha mãe, que seja mais forte que o meu pai, que seja a família que escolhi pra sempre. Quero que ele passe a mão na minha cabeça quando eu for sincera em minhas desculpas e que ele me ignore quando eu tentar enrolá-lo em minhas maldades. Quero que ele me torne uma pessoa melhor, que faça sexo como ninguém, que invente novas posições, que me faça comer peixe apimentado sem medo, respeite meus enjôos de sensibilidade, minhas esquisitices depressivas e morra de rir com meu senso de humor arrogante. Que seja lindo de uma beleza que me encha de tesão e que tenha um beijo que não desgaste com a rotina. [Tati Bernardi]

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Eu nunca prestei atenção em aula de filosofia, mas meu professor estava comentando alguma coisa que eu parei tudo o que estava fazendo pra ouvir o que ele tinha pra dizer. Ele velho, cansado e muito vivido. Olhou pra sala toda, deu uma pausa e disse: Quando você ama, você não usa a razão. O sentimento simplesmente fluí dentro de você. E quando você quer esquecer alguém, você também não usa a razão. O sentimento simplesmente sai de você sem que você faça esforço algum. E depois ele completou: Não adianta mesmo tentar tirar um sentimento de você a força, as coisas acontecem naturalmente, no seu devido tempo. - O tempo pode curar, Promisse.



quinta-feira, 6 de dezembro de 2012






“Estou fugindo do assunto, eu sei. Odeio despedidas. Odeio dar tchau. Odeio chorar. Mas também odeio sofrer. Quero te dizer que esse mundo é injusto demais. Nele vivem pessoas cretinas demais. Já que estou falando no que é demais: fui honesta demais. Talvez esse tenha sido meu maior erro. Mas não sei ser de outra forma.” Clarissa Corrêa.
Britney Spears, 2003.
“É uma mania minha. De colocar uma música que combine, fechar os olhos, pôr as memórias lado a lado e deixá-las passando em flashes na minha mente como se fossem um filme. E ficar ali, esperando uma lágrima cair, um sorriso surgir e refletindo sobre o que vale a pena.” João Pedro Bueno, Sabedorias.



“Certas coisas a gente tem que ignorar. É tipo aquela visita chata que chega e aperta a campainha. Se você abrir a porta, ela vai entrar, fazer hora e tomar um cafezinho até cansar. Mas se você fingir que não está em casa, ela simplesmente vai dar um passo atrás e ir embora. Pense nisso.”

João Pedro Bueno, Sabedorias.

Quem não consegue enxergar as minhas características mais superficiais, nunca será capaz de entender os meus detalhes mais ocultos. Nunca será capaz de enxergar o sonho infindo no qual vivo e me inspiro, e não importa essa besteira de realidade. Afinal, a nossa história já foi escrita, só nos resta seguir da melhor forma e com as melhores pessoas ao nosso lado. (Gledy, Aximoros)
"Eu tenho a delicadeza de uma bailarina. A força de uma leoa. A sensibilidade de um ferimento. A garra de uma onça. Posso ser a pétala da rosa ou o espinho. Depende daquilo que você cativar de mim..."

domingo, 2 de dezembro de 2012







“Já aconteceu comigo. Me apaixonei e reapaixonei. Me estrepei e me dei bem. E muitas vezes pensei: sou muita letra para o alfabeto desse indivíduo, muita palavra para o dicionário desse ser não-pensante.” Clarissa Corrêa.
“Eu sou tão egoísta e ao mesmo tempo tão humilde. Já neguei muita coisa, confesso. Mas também já fiz muita bondade sem ao menos avisar ou esperar algo em troca.” João Pedro Bueno, Sabedorias.
“E de repente a gente ri. Ri muito, sorri muito, se sente a pessoa mais feliz do mundo. E de repente aquilo faz a gente bem, faz a gente melhor. Mas sem querer a gente não percebe. E sem querer a gente não dá valor. Sem querer a gente acaba deixando ir. Me diz, o que é que as coisas têm que só nos fazem perceber o quanto elas nos fazem bem depois que partem?”

João Pedro Bueno, Sabedorias.