Queridos visitantes

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

ASSISTIR MUITA COMÉDIA ROMÂNTICA FAZ VER AMOR ONDE NÃO TEM

''(...) Existem dois tipos de amor: o apego e o amor genuíno. A diferença entre eles é drástica, só que a gente quase nunca percebe. Jetsunma Tenzin Palmo, uma monja muito sábia por quem eu me apaixonei, fala muito bem sobre isso. O apego te pede para segurar com força, enquanto o amor pede que você segure com gentileza, deixando as coisas fluírem. É tão difícil entender isso, porque as pessoas pensam que quanto mais elas se agarrem em alguém, mais isso demonstra que elas se importam com o outro. Não é bem assim. Quanto mais nos agarramos, mais temos medos de perder. Imaginamos que só poderemos ser preenchidos pelo outro. E é isso que causa a dor. Antes de tudo, o preenchimento precisa vir de dentro da gente. Jetsunma Tenzin ensina algo muito prático que repasso para vocês. O apego diz: “eu gosto de você e por isso quero que você me faça feliz”, enquanto o amor sussurra: “eu gosto de você e por isso quero que VOCÊ seja feliz, e se isso me incluir, ótimo”. O amor genuíno que eu apelidei de “amor tranquilo” não chega de repente, ele chega devagar. Ele não vai chegar para te dar susto, e sim para te acalmar (...)''


por Marcella Brafman