Queridos visitantes

sábado, 4 de julho de 2015

"Um abraço não começa pelo toque, e sim, pelo olhar."

''(...) Ás vezes a gente acha que são braços que abraçam. Você acha que você pode dá um abraço no outro é com seus braços. Não é não. O abraço dado com os braços pode ser mentiroso. A gente não abraça de verdade com os braços. A gente abraça primeiro com o olhar. Quando o outro olha pra você, você sabe se é bem-vindo ou não. Não adianta o outro dizer: ''Seja bem-vindo! Que bom que cê veio''. Eu não acredito. É preciso que o olhar esteja feliz na sua chegada. Foi o que Jesus fez. Jesus não tinha possibilidade de dizer absolutamente nada a Zaqueu naquele momento, porque a distância impedia. Mas mesmo de longe você sabe que tem alguém olhando pra você. Não é assim que funciona? Você sabe direitinho que tem um monte de gente ao seu redor e eu olhei pra você e você sabe que eu estou falando com você. Não existe distância para quem olha. Não existe equívoco no olhar. Eu canso de dizer isso. Você pode muitas vezes me dizer: eu não entendi uma palavra do que você me disse!''. Sabe por que? Porque eu posso falar difícil, eu posso falar enrolado, eu posso tentar te enganar, com tudo aquilo que eu digo, monto frases desconexas, e ao final eu não te digo nada. Te digo um monte de coisas e não te disse nada. Você pode até me dizer: ''Eu não entendi uma palavra que você me disse!''. Mas jamais vai poder dizer ''Eu não entendi a maneira como você me olhava''. Isso você não pode me dizer. Porque no olhar não existe mentira. Ou eu te recebo ou eu te expulso. Ou eu te abraço ou eu te rejeito. O olhar sabe tudo. Você na sua vida experimenta isso. O amor mais especial que você experimentou na vida não foi através de uma confissão, foi através de um olhar. É a mãe que olha pra gente e nos desmonta quando a gente chega em casa, já tentou mentir pra sua mãe? Tá certo, desde que você não esteja olhando na cara dela. Você finge que tá amarrando o sapato, porque se fixar os olhos, a mãe sabe que você tá mentindo. A mãe escuta o que a gente não diz. A mãe mesmo sem ter feito Psicologia, é a melhor psicologa que a gente pode encontrar na vida. Eu cheguei a conclusão de que o bom terapeuta não é aquele que escuta o que a gente diz. Muitas vezes a gente diz muita mentira. Pra se justificar, pra parecer o bonzão. O bom terapeuta é aquele que escuta o que a gente não tem coragem de contar. E o verdadeiro amor ele só acontece com pessoas que não tem coragem de contar com as palavras mas conta com os olhos.'' (Padre Fábio de Melo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário